janeiro 03, 2012

Skyward Sword: Primeiras Impressões

3 comentários

Eae pessoal! Essas são as minhas primeiras impressões de Skyward Sword! Eu vou falar sobre algumas novidades em Skyward Sword que eu gostei ou não gostei, mas também vou falar o que eu achei do principais aspectos. Isso não é a Review final completa, e sim apenas um artigo onde eu vou expressar a minha opinião sobre diversos aspectos do jogo até onde eu joguei.

Entre para ver o artigo das Minhas Primeiras Impressões de Skyward Sword! Se você ainda não tem o jogo, não se preocupe, porque o artigo não tem nenhum spoiler.

No geral, eu estou achando o jogo sensacional, e encontrei pouquíssimos problemas. Eu já joguei cerca de 40 horas, e ganhei o jogo em 13/12/11. Infelizmente, eu não pude jogar muito no final de Dezembro, por isso eu estou meio atrasado. Acabei de passar do quinto dungeon. Lembrando que estou jogando 100%, pegando todos os itens coletáveis, fazendo todas as sidequests, explorando tudo, etc. Por isso eu estou avançando de pouco a pouco no jogo. Lembrando que todas essas informações, como tempo de jogo, foram escritas quando eu estava fazendo o artigo.

Skyward Sword pode ser considerado um jogo mais “difícil” que outros Zeldas, tanto é que você começa com seis corações ao invés dos clássicos três. Mesmo se você for experiente, nesse jogo você morre mais do que nos outros Zeldas, a maioria das vezes em combate. A maioria dos inimigos requerem que você pense rápido, porém não parta pra cima de uma vez. Para mim esse é o Zelda que requer mais estratégia nos puzzles e batalhas, tudo graças ao Wii MotionPlus. Eu já devo ter morrido umas 10, 15 vezes até agora, e deve ter chegado perto da morte várias vezes.

A espada tem um papel muito mais importante em Skyward Sword.

Os controles de movimento com o Wii Motion Plus é a maior inovação no gameplay. Eles são bem confortáveis e intuitivos, e se encaixaram bem no jogo inteiro, com apenas algumas exceções. Não é mais preciso mirar na tela, já que o Wii Motion Plus identifica a posição do controle. Isso ajuda muito quando você precisa usar um item rapidamente.

O combate com os controles de movimento ficou muito mais intenso e estratégico. Vários inimigos se protegem de seus ataques e requerem que você pense antes de partir para cima. O uso da espada é mais importante do que nunca nesse jogo. Graças ao Wii Motion Plus, você pode atacar em várias direções. Essa nova dinâmica do ataque da espada foi muito bem usada em puzzles e batalhas. A espada sempre vai responder aos seus movimentos (se você estiver usando o Wii Motion Plus corretamente), e foram poucas vezes que ela não me respondeu corretamente e eu tive que recalibrar.

Os principais itens de Skyward Sword são também muito bem pensados, e fazem ótimo uso do Wii Motion Plus. Eu não quero spoilar muito, mas vários itens clássicos voltaram a nova aventura, com um uso muito mais intuitivo e divertido. Diferente dos outros Zeldas, a quantidade de itens em Skyward Sword é pequena, mas por isso, o uso de cada um é muito maior e melhor. Você vai usar bastante cada item, com muito prazer. Eu apenas tive alguns problemas com o uso da bomba, já que normalmente eu jogo sentado, e as vezes ele não reconhece quando você tenta rolar a bomba. Eu tive que recalibrar poucas vezes durante o jogo, e estou satisfeito com a precisão dos controles.

O upgrade system é um novo sistema na franquia, e adiciona um pouco mais de RPG. Você pode aprimorar quase todos os seus itens e escudo. Em troca do aprimoramento, você precisa dar uma certa quantidade de determinados tesouros, e pagar uma pequena quantia em rupees.

O escudo agora pode ser aprimorado, e finalmente ganhou a importância merecida.

O escudo agora é mais importante. Além de poder ser aprimorado, você pode dar um Shield Bash, contra ataque similar ao Shield Attack de Twilight Princess. Porém, quando você se defende sem usar o Shield Bash (com o Nunchuk), o escudo perde um pouco de durabilidade. Essa durabilidade é marcada pela Shield Gauge. Quando a Shield Gauge é esgotada, o escudo se quebra totalmente. Você pode restaurar a durabilidade com porções, mas um certo tipo de escudo pode se restaurar sozinho com o tempo. Você vai encontrar diferente tipos de escudo, e cada um deles tem cerca de três níveis de aprimoramento. Infelizmente, quando você ganha um melhor tipo de escudo do que o anterior, você vai deixar o antigo de lado, assim não aproveitando o seu aprimoramento. Aprimorar um escudo normalmente aumenta a durabilidade e permite o escudo te proteger de certos elementos (como eletricidade).

O instrumento musical de Skyward Sword, a Harpa, é um pouco irrelevante. Você não pode tocar musicas quando quiser (diferente de Ocarina of Time), porém as musicas aprendidas são umas das melhores de toda a série. Mesmo assim, a forma de tocar a Harpa é muito simples. Você apenas vai de um lado para outro, sem mudar nenhuma nota. Eu achei a Harpa legal no começo, mas depois vi que ela não se compara a complexidade da Ocarina of Time ou do Wind Waker.

A única coisa que me deixou um pouco frustrado foi o uso do Wii Motion Plus na harpa. Além do uso parecer um pouco forçado, em determinada parte do jogo, você precisa acompanhar uma musica com sua harpa. Porém o ritmo muda muito rapidamente, e quando você movimenta rapidamente, Link as vezes não responde do modo correto, assim você precisa fazer a musica de novo até acertar. Eu tentei umas 13 vezes, mas depois eu tentei não acelerar muito o ritmo, e consegui.

O céu em Skyward Sword é o overworld do jogo, um dos três tipos de principais áreas da série. O céu é bem grande, com bastante ilhas. Infelizmente, a maioria delas são vazias, ou apenas servem para achar tesouros. Apenas algumas delas são interessantes. Tem algumas que tem minigames para distrair um pouco, e outras que tem mais pessoas e sidequests para fazer. Mas eu gostei do tamanho do céu. Ele não é tão grande como a Great Sea de Wind Waker, mas também não é tão vazio como o Hyrule Field de Ocarina of Time.

Voar em seu pássaro é um jeito rápido e divertido de viajar pelo céu!

Voar no seu Loftwing é bem divertido e rápido. As viagens não demoram mais de 5 minutos, e é bem interessante ver o céu. A única coisa que me decepcionou foi que não tem um jeito de você atacar em cima do seu pássaro, a não ser dar um simples giro. Eu gostei muito do sistema de combate em cima do King of Red Lions em Wind Waker, que você podia usar vários itens enquanto no mar, e eu esperava um sistema do tipo em Skyward Sword. O problema do sistema em Wind Waker é que você não pode atacar em quando navega.

Os dungeons em Skyward Sword são relativamente pequenos, principalmente comparando-os aos de Twilight Princess. Porém isso não estraga nada. Eu acho que esses são os melhores dungeons da série. Isso tem vários motivos, como os puzzles, os combates, e o design em geral. A maioria dos puzzles requerem o uso de Wii Motion Plus, e apenas poucas vezes que esse uso parece forçado. Eu não quero spoilar muito, mas o primeiro dungeon, que muitas vezes é visto como uma fase introdutória em outros jogos, é bem diferente em Skyward Sword. Você já começa a aventura com desafios bem elaborados, inimigos difíceis, e chefes inteligentes. Os dungeons em Skyward Sword se encaixaram perfeitamente no jogo, sendo para mim o ponto mais forte do jogo todo. Os puzzles são muito bem pensados, e as batalhas são bem memoráveis e emocionantes.

Fi, a nova companheira de Link, é uma personagem bem misteriosa.

Fi, a nova companheira de Link que habita sua espada, é bem útil e diferente. Ela se comporta como um robô, e não compreende as emoções humanas. Quase tudo que ela fala tem uma porcentagem ou estatística. Ela pode te dar vários tipos de informações quando você a chama. Algumas das informações podem ser meio obvias, mas ela pode ser útil se você esqueceu o objetivo, ou precisa de ajuda para derrotar um inimigo. Eu achei ela bem menos irritante que Navi, e ela só te ajuda na batalha se você pedir. Infelizmente, até agora, eu acho que a personagem dela não foi bem explorada, muito diferente de Midna, que teve uma personagem totalmente explorada. Porém eu não gostei muito da Midna por alguns motivos, e estou gostando da Fi. Eu achei a sua voz robótica bem interessante de ouvir, e gostei de ela te chamar de mestre. Teve vários outros motivos dos quais eu me apaguei a ela.

Eu gostei muito do novo save system, derivado de Majora’s Mask. Nos Zeldas anteriores eu salvava o progresso sempre que eu ganhasse de uma luta ou passava de uma sala em um dungeon. Agora você apenas pode salvar em certos pontos do jogo, em Bird Statues, que normalmente se encontram em entradas de lugares importantes ou salas em dungeons. Mas quando você entra no file novamente, você voltará exatamente no ponto de onde salvou da ultima vez. Isso pode te ajudar muito se você estiver dentro de um dungeon e precisar sair no meio dele. Até agora eu não tive nenhum problema de ter que sair no meio do jogo e depois ter que fazer uma parte de novo. Mesmo assim eu aconselho apenas começar um dungeon se você tiver tempo para jogar, por precaução.

A estamina é um novo sistema de gameplay que traz uma nova dinâmica ao jogo. Link este mais limitado, e sempre que você faz alguma ação pesada, como escalar, correr, rolar, entre outros, você começa a gastar a estamina. A barra de estamina começa a regenerar apenas quando você parar a ação pesada. Eu nunca perdi alguma batalha porque eu fiquei sem estamina. Você apenas precisa regular o uso, o que adiciona mais estratégia. A única decepção com o sistema é que você não pode aprimorar (upgrade) a barra, mas você pode usar porções que retardem o processo de esgotar a barra ou porções que recuperem rapidamente ela. Eu achei que isso deixa um jogo um pouco mais “realista”, e lembra que Link é apenas um humano comum.

Link esta muito mais ágil em Skyward Sword

Link esta muito mais ágil em Skyward Sword. Agora você pode correr, o que é uma grande adição a série, que eu achei muito mais útil que rolar. Você também pode agilizar processos dos quais eu achava chatos, como escalar e nadar. Porém essas ações requerem bastante estamina, assim você precisa regular o uso desses “bosts”. Eu acho que correr é bem eficaz quando você precisa atravessar um lugar do qual você já explorou, e em Skyward Sword muitas áreas são revisitadas.

Os gráficos de Skyward Sword causaram muito polêmica na E3 2010, quando vimos o primeiro gameplay do novo Zelda. O visual parece uma mistura de Wind Waker (no ambiente) e Twilight Princess (nas armas). Eu gostei muito dos gráficos. Eu acho que é realmente uma obra de arte tudo o que você vê durante o jogo. A maioria dos ambientes são sempre bem coloridos. Quando tem algum objeto no fundo, como um dungeon, você apenas enxerga bolinhas coloridas que formam a imagem sem nitidez. Eu odiei isso no começo, mas depois eu percebi que quase todo o fundo de um cenário era uma "obra de arte". As cores e claridade formam pinturas estilo impressionista, que merecem ser apreciadas.

Eu aprecio muito os gráficos cel-shaded do The Wind Waker, mas eu também gosto dos gráficos realistas de Twilight Princess. Os produtores pegaram bem os pontos que eu mais gosto nos gráficos desses dois Zeldas. Eu não gosto muito do visual das armas e pessoas no Wind Waker, mas eu gosto dos seus ambientes claros e coloridos. Já em Twilight Princess, eu não gosto muito daquele ambiente sombrio escuro o tempo todo, mas eu acho muito legal o estilo realista das espadas, escudos e itens. E a Nintendo pegou exatamente esses pontos positivos e misturou tudo, uma coisa que eu achei fantástico.

A música de Skyward Sword é fantástica, sendo tão épica quanto as dos outros jogos da série.


A música em Skyward Sword é simplesmente fantástica, sendo tão épica quanto as dos outros jogos da série. É a primeira vez na série que o jogo tem todas suas músicas orquestradas, mais uma conquista. Eu apenas não achei algumas delas tão memoráveis como as clássicas de Ocarina of Time. As músicas mais tocadas no jogo, como a do céu e de Skyloft, são espetaculares e ficam na cabeça. A maioria das trilhas sonoras se encaixaram perfeitamente em seus devidos temas e ambiente. As músicas tocadas na Harpa não é exceção. Eu só aprendi duas até agora, mas só uma delas eu achei meio fraca, já a outra é de arrepiar.

E essas foram as minhas Primeiras Impressões de Skyward Sword! Ainda tem muitos assuntos que eu não mencionei nesse artigo, ou que eu não me aprofundei muito. Esse artigo foi apenas para falar sobre o que eu estou achando sobre umas coisas do jogo até agora, e essas opiniões podem mudar até eu zerar o jogo e fazer a Review. Eu só toquei em assuntos que eu achei relevantes, mas teve muitas grandes mudanças que eu não mencionei. Eu vou falar sobre outros assuntos (ou me aprofundar mais em alguns) em outros artigos, analisando dungeons, itens, personagens, lugares, etc. A review vai ser feita (por mim) assim que eu zerar o jogo e tiver tempo!

O que você achou? O artigo ficou bom? Faltou algumas coisas? E o que você esta achando de Skyward Sword? Compartilhe suas opiniões nos comentários abaixo! Se você gostou do artigo, clique em "gosto" em baixo do post, e compartilhe com seus amigos pelas redes sociais!

Qualquer duvida, sugestão, e outras coisas do tipo, pode comentar que eu te respondo! Você também pode nos mandar um email para um assunto mais privado (zeldaworld.b@hotmail.com)!

Se você quiser saber mais sobre os artigos e análises de Skyward Sword que eu vou fazer, dê uma olhada na ultima ZWB News!

Fique ligado no Zelda World Blog para saber de mais notícias!

3 Comentários

  1. [...] eu fiz o primeiro artigo oficial do ZWB: Primeiras Impressões de Skyward Sword. Se você ainda não viu esta analise, você clicar na imagem na lateral direita escrita [...]

  2. [...] Skyward Sword: Primeiras Impressões Share this:TwitterFacebookGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. [...]

  3. [...] Skyward Sword: Primeiras Impressões Share this:TwitterFacebookGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. [...]

Leave a Reply

Comente!

About

eXTReMe Tracker

Pesquisar